Home materias 1953 nasce um mito

1953 nasce um mito

por ES3b9lKkzD
O Chevrolet Corvette, também chamado cordialmente de Vette o Vette , ou Chevy Corvette.
Desde o primeiro conversível até os dias de hoje o modelo já passou por sete gerações,  o modelo já é produzido por sete gerações, sendo atualmente o modelo  mais potente em produção na America,
No início da década de 1950, os carros desportivos europeus com seus designes arrojados faziam sucesso pelo mundo inteiro, enquanto que o mercado americano só possuía representantes como pesados Cadillacs e Buicks. Nesse período a General Motors atravessava um momento crítico, tendo sua rival, a Ford, superado suas vendas na América do Norte por dois anos consecutivos. Os diretores do grupo sabiam que tinham de pensar em algo para retomar o crescimento. Tom Keating, executivo geral da Chevrolet, tinha em mente um novo carro para a colocar de volta à primeira posição no mercado.
Em junho de 1951 era iniciado o projeto Opel. A princípio o carro se chamaria Korvette, palavra homófona de Corvette (corveta), em referência à pequena e veloz embarcação de escolta da Marinha inglesa. Mais tarde optaram pelo nome Corvette.
Em 1952, engenheiro-chefe de motores da GM, Ed Cole, e o especialista em chassis Maurice Olley trabalharam juntos no protótipo EX-122. Harley Earl, chefe de design, baseou seu modelo em carros de corrida europeus.
Em 17 de janeiro de 1953 foi apresentado em Nova York o primeiro modelo do Corvette que surpreendeu o público. Era um carro diferente dos padrões americanos: pequeno, baixo, com visual limpo e desportivo. Embora baseado em desportivos europeus, possuía traços do desenho americano: com lanternas na ponta de um pequeno rabo-de-peixe, era branco com o interior revestido de couro vermelho.
Material do ano de lançamento(1953)
  O primeiro modelo, um conversível, foi introduzido no GM Motorama em 1953 como um show. Myron Scott é creditado por nomear inspirado em um navio de guerra pequeno e manobrável chamado corveta. Originalmente construído em Flint, Michigan e St. Louis, Missouri, o Corvette é atualmente fabricado em Bowling Green, Kentucky e é o carro esporte oficial da Commonwealth de Kentucky.
Existem sete gerações de Corvettes. As gerações podem ser referidas da versão C1 até C7, mas a primeira geração é mais comummente referida como solid-axle (eixo rígido), pelo fato de a Suspensão Traseira Independente (STI) não estar disponível até 1963. A primeira geração começou em 1953 e terminou em 1963.
A primeira corvette
A C1 era equipada inicialmente com motor de 235 polegadas cúbicas (3.859 cm³), seis cilindros em linha, e duas marchas no câmbio automático com tração traseira. Rendia 150 cv de Potência bruta, chegando a 170 km/h.
O conjunto era montado sob uma carroceria de plástico reforçado com fibra-de-vidro prensado, que resultava em um carro leve. Não fosse o novo material, pela primeira vez empregado na produção automobilística e que tinha o nome comercial de Fiberglass, o Corvette seria inviável por questão de volume de produção. Os freios a tambor nas quatro rodas e a suspensão, independente na frente e de eixo rígido na traseira, vinham de outros modelos da marca.

Zora Arkus-Duntov, o engenheiro-chefe da unidade Corvette desde 1955, preocupado com os baixos números de vendas e com o desempenho do modelo, reivindicou mudanças no modelo. Concorrentes como a Ferrari 410 S e o 375 America possuíam motores V12 com mais de 300 cv. Naquela mesma época, a Ford lançou o Thunderbird, com um V8 de 4,5 litros. Então a GM passou a trabalhar com um V8 de 265 pol³ (4.339 cm³), que fornecia 195 cv e alcançava 200 km/h.
Além disso foram adicionadas mais cores e a caixa automática de três velocidades, opcional. Após baixas vendas, a GM lança em 1956 o Corvette com significativas mudanças de estilo.

C2- de 1963 a 1967

A segunda geração, desenhada por Larry Shinoda e com principais inspirações no “Q Corvette” de Peter Brock e Chuck Pohlmann, começou em 1963 e terminou em 1967. Em 1963, foi introduzido no mercado o Corvette Sting Ray (coupé baseado no carro conceito ‘‘Mako Shark I’’), com para-lamas elevados, para-choques bipartidos, e com o vidro traseiro dividido. Por questões de segurança, os vidros traseiros foram substituídos por um inteiriço em 64, e por causa da falta de ventilação no carro devido à pressa do projeto, foram instalados ventiladores atrás dos bancos no mesmo ano. O motor ‘‘327’’ de 1963 possuía 320cv e chegava a 205 km. (afinação caseira).

No ano seguinte o carro ganhou freios a disco nas quatro rodas, além de um novo motor (6.478 cm3), que produzia 425 cv e um torque de 55 kgf. Um dos principais motivos dos projetistas era fazer o Sting Ray competir nas pistas com o mesmo nível do lendário Shelby Cobra, que possuía um V8 427 da Ford, de mesma potência.
Duntov e sua equipe lançaram, em 1967, o modelo L88, equipado com o V8 427, um big-block de 7,0 litros (6.999 cm3), que utilizava cabeçotes de alumínio e três carburadores de corpo duplo Holley. Comenta-se que na verdade chegava a 550 cv, mas a fábrica declarava apenas 430 cv, para confortar as seguradoras. Também houve modificações na aparência, com uma entrada de ar central que se unia ao vinco do capô. Dos 28 mil Corvettes vendidos nesse ano, apenas 20 eram desta versão. O modelo foi pilotado por Dick Guldstrand e Bob Bondurant em Le Mans, estabelecendo o recorde de velocidade na reta de Mulsanne com 274,4 km/h (embora não tenha terminado a corrida). Atualmente os L88 de 1967 estão avaliados em até US$ 650 mil.

C3 de 1968 a 1982

Corvette LT1 1971
A terceira geração (de 1968 a 1982) foi inicialmente inspirada no conceito Mako Shark II. O novo desenho trazia faróis escamoteáveis duas grades frontais para entrada de ar para o motor 427 V8 de 430 cv das versões L88 e também dos modelos de 300 cv. Outro detalhe era a possibilidade de remover o vidro traseiro e o teto na versão cupê (que durou até 1977). Em 1969 entrou o novo motor, o 350 V8 (5.733 cm³) small-block, que atingia a potência máxima de 300 cv. Em 1971 a Chevrolet insere o big-block, um V8 de 454 pol³ (7.440 cm³) que produzia 425 cv e equipava a versão ZR2 enquanto que o modelo básico vinha equipado com o V8 350 de 270 cv. Assim como o L88, foram produzidos apenas 20 ZR2.
A partir de 1972, com a crise do petróleo e novas políticas quanto emissões gasosas, deu-se início a uma queda de potência e cilindrada dos motores. O big-block esteve em linha até 1974 com potência máxima de 270cv. O 350 V8 de 1975 possuía apenas 165 cv.
Novamente houve modificações de estilo e motorização em 1977. O Corvette mostrava linhas ainda mais angulosas, nova traseira inclinada e frente mais estreita. Adotava o motor L82 de 180 cv, baseado no tradicional V8 350. Outra opção era o L48, com o famoso carburador Rochester Quadrajet, que elevava a potência para 185 cv. O carro atingia 197 km/h e acelerava de 0 a 96 km/h em 7,8 segundos, boas marcas para aqueles tempos difíceis.

C4 de 1983 a 1996

A quarta geração foi produzido entre 1983 até 1996, voltando o uso de conversíveis e uso de motores com maiores potências, tomando como exemplo o motor de 375cv LT5, encontrado no modelo ZR-1.

C6 de 2005 a 2013

O Chevrolet Corvette voltou a ter faróis expostos à parte desta geração. Variantes de produção incluem o Z06, ZR1, Grand Sport e 427 Convertible. As variantes de corrida incluem o C6.R, um para o campeonato americano do Le Mans Series GT1 e o vencedor do 24 Horas de Le Mans GTE-Pro.

Z- 06

Corvette 2005
O Z06 chegou como modelo 2006 no terceiro trimestre de 2005 e é o mais leve de todos os modelos Corvette. O Z06 foi equipado com o maior deslocamento do motor de bloco pequeno já produzido, um novo 7.011 cc (7,0 L; 427,8 cu em) motor V8 nome de código LS7 produziu 505 cv (512 PS; 377 kW) a 6300 rpm e 470 lb⋅ft (637 Nm) a 4800 rpm de torque, pois o motor naturalmente aspirado mais potente colocado em um carro de produção da General Motors. Além do motor de maior cilindrada, o Corvette Z06 possui um sistema de cárter seco e bielas em liga de titânio.. A estrutura do Z06 é construída em alumínio, economizando 136 lb (62 kg) acima da estrutura de aço padrão . Foram utilizadas outras medidas de economia de peso, tais como pavimentos compostos de madeira de balsa / fibra de carbono e um berço de motor de liga de magnésio . O corpo do Z06 se diferencia do Corvette padrão com seus pára-lamas dianteiro e traseiro maiores e uma entrada de admissão no pára-choque dianteiro. Os pára-lamas dianteiros são construídos com fibra de carbono e os pára-lamas traseiros contêm dutos para auxiliar no resfriamento dos freios traseiros. O Z06 pesava 3,130 lb (1,420 kg), [10] , dando-lhe um peso de relação de potência de 6,2 libras por potência (3,8 kg / kW), permitindo-lhe alcançar uma economia de combustível de 15 mpg -US (16? L / 100 km 18 mpg ‑imp) na cidade e 24 mpg -US (9,8 l / 100 km; 29 mpg ‑imp ) na estrada . O Z06 foi o carro de ritmo oficial tanto para o 2006 Daytona 500 quanto para o Indianapolis 500 . Car and Driver registrou um tempo de 0-60 mph (97 km / h) de 3,6 segundos e 1/4 de milha em 11,7 segundos a 125 mph (201 km / h) em outubro de 2005. Um modelo pré-produção / pré-oficial foi gravado pela AMS contra o Porsche 996 GT2 de 483 CV com um tempo de 0-60 mph (97 km / h) mais lento de 4,3 segundos e um tempo de 0 a 400 metros de 12,7 segundos em maio de 2004.
Para 2011, foi lançada a Z06 carbon edition, que transporta várias partes do ZR1, incluindo freios de cerâmica de carbono, suspensão ativa e outras peças aerodinâmicas de fibra de carbono. Apenas 500 Z06 Carbon Editions foram feitas. Os números reais de produção foram muito mais baixos, no total, apenas cerca de 250 foram Carbon Editions e 250 foram escolhidos da mesma forma, mas não tinham a capa de carbono. Em 2012 e 2013, essas opções puderam ser solicitadas através do pacote Z07 no Z06.
Corvette Z 06 2013

C7 de 2014 a 2021)

A Sétima geração do Corvette (C7) estava em desenvolvimento desde 2007. Originalmente definida para ser introduzida para o ano modelo 2011, sua introdução foi adiada por 3 anos. Foi finalmente lançado para o ano de 2014. Foram considerados os layouts do motor central e do motor traseiro , mas a plataforma do motor dianteiro e tração traseira (RWD) foi escolhida para manter os custos de produção mais baixos.
Para os planejadores e profissionais de marketing da GM, o fato de o Corvette ter se tornado conhecido como “brinquedo de um homem velho” tornou-se um fator primordial no desenvolvimento da próxima geração. Estudos mostraram que cerca de 46% dos compradores do Corvette em 2012, até outubro, tinham 55 anos ou mais, em comparação com 22% do Audi R8 e 30% dos clientes do Porsche 911 . O chefe do marketing da Chevrolet, Chris Perry, reconhece que muitas pessoas viram isso como o carro do “encanador bem sucedido”. John Fitzpatrick, gerente de marketing da Corvette, disse: “É o velho ditado: ninguém quer ser visto dirigindo um carro de um homem velho, mas todo mundo quer ser visto dirigindo um carro de um jovem”. Para contrariar essa percepção, a GM planejou tornar a nova geração C7 mais ambiciosa para os mais jovens. Para esse fim, uma versão camuflada do carro foi disponibilizada no popular videogame Gran Turismo 5 em novembro de 2012. Como parte do esforço de marketing associado à introdução da nova geração, o Indianapolis 500 2013 utilizou um Corvette pela 12ª vez como seu carro de pace car.
O sucesso de vendas do novo Corvette é importante para a GM. The Motley Fool informa que a Chevrolet poderia ganhar US $ 10.000 ou mais em lucro bruto para cada Corvette que vende. O lucro da GM sobre as vendas é separado dos lucros obtidos pelas concessionárias individuais que vendem os carros para o público.
O Chevrolet Corvette 2014 usa um LT1 de 6,2 L V8 (376 pol. Cúb.) Produzindo 455 bh (339 kW) ou 460 bhp (340 kW) com o escape de desempenho opcional. O motor LT1 (a designação “LT1” foi usada pela primeira vez pela GM em 1970 e depois em 1992.) está na família Gen V de pequeno blocomotores, que serão usados ​​em veículos GM como a nova opção V8 pequena. Ele apresenta três novas tecnologias para o GM V8, embora amplamente disponíveis em outros motores no mercado: injeção direta, distribuição de válvulas variável e um sistema ativo de gerenciamento de combustível. Os injetores de combustível estão localizados sob o coletor de admissão. O Corvette continua com tração traseira com o transaxle localizado na traseira. As opções de transmissão incluem um câmbio manual de 7 velocidades ou um câmbio automático de 6 velocidades (2014) / 8 velocidades (2015-) com câmbio de marchas. O novo interior inclui bancos de fundo largo como padrão, com versões mais desportivas com apoios laterais elevados. Logotipo da bandeira do Corvette foi revisto para o novo carro e um pequeno casting de uma arraia foi adicionado à ornamentação do carro.
As características da estrutura da nova geração incluem um capô de fibra de carbono e um painel de teto removível. Os pára-lamas, portas e painéis traseiros permanecem compostos. Na traseira do carro, as luzes traseiras da marca registrada mudaram para uma forma mais quadrada. Os painéis da parte inferior da carroçaria são feitos de compósito “carbono-nano” e utilizam uma nova estrutura de alumínio que localiza as quatro rodas uma polegada mais afastadas, da frente para trás e de lado a lado. O espaço para bagagem diminuiu 33% em relação à geração anterior. [85] O peso total do carro não foi anunciado pela General Motors por muitos meses após sua primeira exibição em janeiro de 2013. Apesar do aumento do uso de alumínio e outros materiais leves,[86] [87] [88] Em agosto de 2013, o peso do novo Corvette foi relatado como 3.444 lb (1.562 kg), [89] significando que pesaria mais do que o modelo C6 ZR1 da geração anterior (3.324 lb ( 1.508 kg)). O peso ZR1 C6 incluiu um supercharger e intercooler em seu motor de 6,2 l. [90]
Chevrolet anunciou o C7 Z06 no Detroit Auto Show 2014. O Corvette Z06 2015 tem 650 cv do motor supercharged LT4 de alumínio 6.2L V-8. [91] [92]
A nova geração Corvette ressuscitou o nome “Stingray” (originalmente grafado “Sting Ray” nos modelos de 1963 a 1967 e “Stingray” de 1969 a 1976), usado pela última vez em 1976. [93]
Para o modelo de 2015, a Chevrolet começou a oferecer uma versão de transaxle do 8L90 8-speed automatic para substituir o anterior 6L80 de 6 velocidades. [94] [95]
Para o ano modelo 2017, a Chevrolet apresentou novamente o modelo Grand Sport (GS). [96] Este modelo inclui recursos de estilo de corpo largo Z06 e ajuste de suspensão, juntamente com a configuração do motor LT1 do depósito seco Z51. Os modelos Grand Sport estavam disponíveis em 10 cores exteriores e poderiam ter o opcional Heritage Package, que incluía gráficos de defensas em hash-mark (disponíveis em seis cores. Como parte da introdução do Grand Sport em Genebra, Suíça, a Chevrolet também anunciou um Grand Sport Collector. Edição , que seria limitada a 1.000 veículos no total e apenas 850 para o mercado dos EUA Os números finais da produção mostram 784 cupês e 151 conversíveis foram construídos, 935 no total.
Para o ano modelo de 2019, a variante ZR1 retornou. Este modelo apresenta um novo motor LT5. O bloco longo do LT5 é o mesmo que o LT4, mas o deslocamento do supercompressor foi aumentado de 1,7 para 2,65 litros. A saída de energia do C7 ZR1 é de 755 cavalos de potência
Site Protection is enabled by using WP Site Protector from Exattosoft.com